No passado dia 10 de dezembro, os alunos do Colégio Novo da Maia realizaram uma visita de estudo à Assembleia da República, Lisboa Story Center, Museu da Fundação Gulbenkian e o Centro de Arte Moderna José Azeredo Perdigão-CAM. Esta atividade destinou-se às turmas B, C e D do 10.º, 11.º e 12.º anos de escolaridade, assumindo um papel fundamental na formação geral e cívica dos discentes, sendo possível desenvolver saberes transversais relacionados com as disciplinas de História, História da Cultura e das Artes, Desenho, Economia, Geografia, Filosofia e Ciências Políticas.

A visita de estudo contemplou dois momentos distintos, que se iniciou pelas 11 horas a visita guiada ao Palácio de São Bento, sede do Parlamento de Portugal desde 1834, onde os nossos alunos foram apresentados o programa do Parlamento dos Jovens e o tema deste ano “Violência no Namoro”.

Posteriormente visitaram o Palácio das Cortes, ou Parlamento, e a Câmara dos Deputados, para além da Sala dos Passos Perdidos, a Escadaria Nobre e o Salão Nobre.

Após almoço e no momento da tarde (15h00) houve uma divisão do grupo. Deste modo, os alunos das Ciências Sócio Económicas e Humanidades visitaram o Lisboa Story Center onde realizaram uma visita guiada da baixa pombalina, enquanto que o grupo de Artes Visuais visitou o Museu da Fundação Gulbenkian e o CAM- Centro de Arte Moderna José Azeredo Perdigão.

O grupo das socioeconómicas e humanidades, na parte da tarde, desceram desde os Armazéns do Chiado até a zona histórica e comercial do Chiado em direção à Praça do Comércio, numa visão inovadora da reconstrução da cidade em termos urbanísticos, comerciais e de organização explorando a arquitetura da cidade proporcionando a descoberta mais pormenorizada da sua história e atualidade de hoje.

Após uma subida ao Arco da Rua Augusta, onde fomos surpreendidos com uma vista privilegiada sobre a paisagem de Lisboa, deslocaram-se para o Terreiro do Paço e o Lisboa Story Centre, onde de uma forma lúdica e interativa os alunos foram “conduzidos” por um “contador de histórias” do passado ao presente dos principais eventos da cidade. Fui uma viagem no tempo como se percorresse um livro ilustrado trazido à vida. Em toda esta viagem os alunos puderam sentir o ambiente de um armazém e do comércio de Lisboa quinhentista,para além de viver uma simulação dos acontecimentos do trágico dia de Todos os Santos de 1755 e a experiência imersiva do terramoto e das suas consequências.

O grupo de alunos das artes e ainda o artista residente (AR) do CNM, André Silva visitaram a exposição “Coleção do Fundador”, que inclui um conjunto de cerca de mil peças divididas pelos núcleos de Arte Egípcia, Greco-Romana, Mesopotâmia, Oriente Islâmico, Arménia, Extremo Oriente e, na arte do Ocidente, Escultura, Arte do Livro, Pintura, Artes Decorativas francesas do século XVIII e obras de René Lalique. A coleção de obras de René Lalique, que Calouste Gulbenkian adquiriu diretamente ao artista, é considerada única no mundo pela sua qualidade e quantidade.

De seguida a visita prosseguiu por um percurso temático na Coleção Moderna que destaca obras de artistas mulheres, apresentando pinturas, desenhos, ilustrações, têxteis, fotografias, vídeos, esculturas e instalações, a visita à exposição “Artistas Mulheres na Coleção Moderna” no CAM− Centro de Arte Moderna José Azeredo Perdigão.

Esta proposta expositiva, inclui mais de 100 obras, está organizada cronologicamente, de 1916 a 2018, e por tipologia, acompanhando os três pisos de exposição.
Por fim, este percurso lança também pistas e propõe encontros tão diversos com temáticas que passam pela autorrepresentação, a representação da mulher e de crianças, a explosão da cor, a poesia visual, o corpo e a ausência.

Concluída as visitas podemos afirmar que houve uma valorização da Cultura portuguesa, no aspeto artístico, histórico e socioeconómico.

Galeria de Fotos